Notícias

Madonna é acusada de fazer shows ilegalmente na Rússia

16/04/2013

Um deputado russo, autor de uma polêmica lei "anti-gays" em São Petersburgo, acusou na terça-feira (15) a cantora americana Madonna de ter trabalhado ilegalmente durante dois shows que fez na Rússia em 2012, durante os quais defendeu os homossexuais e as Pussy Riot.

— Em agosto de 2012, o tipo de visto de Madonna permitia a ela realizar atividades humanitárias e culturais, mas não comerciais —, declarou à AFP Vitali Milonov, deputado local do partido governante Rússia Unidade.

Durante estes shows, a estrela do pop defendeu a causa gay e deu seu apoio às três cantoras punk do grupo Pussy Riot, condenadas por terem criticado o presidente Vladimir Putin.

Organizações ultranacionalistas russas apresentaram uma demanda perante um tribunal de São Petersburgo exigindo da cantora 333 milhões de rublos (8,5 milhões de euros) por perdas e danos, mas a ação foi rejeitada. Uma lei adotada em fevereiro de 2012 em São Petersburgo por iniciativa de Milonov castiga nesta região qualquer ato público que promova a homossexualidade e a pedofilia, um texto denunciado pelos defensores das liberdades.

Por: João Leones

Fonte: ClicRbs


Esta notícia foi visualizada 728 vez(es).


Mais notícias

Desenvolvido pelo Núcleo de Informática/NI
CSS xHTML
Avenida Batista Bonoto Sobrinho, 733 - Santiago/RS - 97700-000 - Fones: 0xx55 32513151 / 3251-3157